Bandagem elástica: descubra para que serve esse acessório

A bandagem elástica é uma técnica simples que ajuda a aliviar a dor e auxilia no combate a lesões. Muito utilizadas por atletas, as bandagens vêm se popularizando desde os anos 70, e dispensam o uso de medicamentos, de acordo com a necessidade do usuário. É importante que seu uso precisa ser orientado por um profissional habilitado, pois, se aplicada de maneira errada, pode piorar o problema. As bandagens elásticas modificam mecânicas motoras básicas, então só o fisioterapeuta ou o ortopedista é que podem indicar a tensão da bandagem, a direção da aplicação e o tipo de corte apropriado para cada problema.

CLIQUE AQUI E CONHEÇA NOSSO CURSO DE BANDAGEM ELÁSTICA

Ações e benefícios

Elevando sutilmente a pele, as bandagens funcionais aliviam a pressão exercida sobre receptores neurológicos e sensoriais. Na compressão da pele, músculos e articulações, as terminações nervosas são estimuladas e enviam sinais até o cérebro, cuja resposta neural ajuda a melhorar o problema e diminui a dor. As bandagens são indicadas para:

– Hematomas
– Inchaços e edemas, melhorando a circulação sanguínea e linfática
– Melhora lesões nas articulações, auxiliando no realinhamento e reposicionamento
– Dores musculares
– Melhoria da postura
– Problemas de coluna e hérnia de disco
– Facilita as contrações musculares, que auxiliam na repetição de movimentos, evitando contrações excessivas
– Fortalecimento de membros e articulações que precisam de maior suporte
– Melhoraram ou reduzem o intervalo da amplitude de movimentos, de acordo com as necessidades do indivíduo
– As bandagens elásticas também apresentam benefícios para tratamentos de estética facial. Elas aumentam o tônus da pele. E ajudam a drenar edemas e inchaços após cirurgias plásticas, colaborando no processo de cicatrização e recuperação.

Curiosidade

As bandagens elásticas foram desenvolvidas no Japão por Kenso Kase, quiropraxista que idealizou a técnica levando em consideração as várias funções dos músculos, que incluem contração, controle da circulação sanguínea e manutenção da temperatura corporal, a partir de uma visão holística e integral do organismo humano. Foi em 1988, nas Olimpíadas de Seul, que a delegação esportista japonesa fez uso das bandagens oficialmente, divulgando a terapia para todo o mundo.

A cromoterapia também tem se mostrado uma aliada interessante no tratamento de lesões musculares e nas atividades esportivas. Há quem considere que a junção da terapia das cores com a técnica das bandagens pode potencializar resultados. Assim, cada cor de bandagem pode possuir uma propriedade terapêutica e uma vibração específica. Além de tons básicos como branco, bege e preto, é possível encontrar bandagens em vermelho, cuja cor tem relação com a força física e persistência; verde, que favorece o relaxamento e a concentração; e azul céu, que dá mais confiança e tranquilidade.

Modos de usar

As bandagens adesivas são confeccionadas com fibras de algodão, que não criam atrito com a pele e permitem a transpiração normal dos poros. As fitas para tratamento possuem colas antialérgicas feitas em acrílico, ou fechamento em velcro para ajustes, maior conforto e flexibilidade. No caso de tratamentos fisioterápico, é possível permanecer de três a cinco dias com a bandagem, sem ser necessário retirá-la para tomar o banho, podendo ser usada também em esportes aquáticos.

Contraindicações

Evite aplicar bandagens elásticas sobre tecidos dérmicos frágeis ou em fase de cicatrização. Também não podem ser usadas sobre celulites ou áreas que possuam infecções ativas graves, localizadas tanto na superfície quanto interiores. Idosos e crianças podem usar tranquilamente, mas pacientes renais ou asmáticos, bem como gestantes precisam antes consultar um médico.

Fonte: Shopfisio