Exercícios e fisioterapia ajudam a preparar as grávidas para o parto, afirma personal gestante

Proporcionar uma gravidez com mais qualidade de vida e um parto tranquilo para as amazonenses tem sido o foco da fisioterapeuta Erika Moreira, que oferece o serviço particular de personal gestante

A Organização Mundial da Saúde aconselha que mulheres grávidas façam ao menos 30 minutos de exercícios todos os dias – quando não houver risco para a mãe e o bebê, é claro. Em São Paulo, por exemplo, segundo pesquisa da secretaria de saúde estadual, 65% das gestantes não seguem a recomendação e se mantêm sedentárias. Caso a rotina delas incluísse exercícios de nível leve a moderado, problemas como dor lombar, flacidez abdominal e retenção de líquido poderiam ser contornados com mais facilidade.

Proporcionar uma gravidez com mais qualidade de vida e um parto tranquilo para as amazonenses tem sido o foco da fisioterapeuta Erika Moreira, que oferece o serviço particular de personal gestante. De duas a três vezes na semana ela vai até a casa das clientes para acompanhá-las na prática de exercícios aeróbicos devidamente adaptados. As sessões duram de 45 minutos a 1h, e incluem dicas sobre gravidez e alimentação.

Erika destaca que a fisioterapia pré-natal é indicada apenas a partir do terceiro mês de gestação e deve ter prescrição médica. “Com base nisso, traçamos um perfil de quais atividades ela pode fazer. Também trabalhamos com a grávida a preparação para o parto normal a partir de exercícios para a parte pélvica e do períneo”.

Por outro lado, as técnicas de fortalecimento e alongamento muscular auxiliam principalmente durante a gestação. “Exercícios como o de Kegel ajudam a prevenir a incontinência urinária, por exemplo. Se ela tiver inchaço, aplicamos técnicas de vasodilatação. Também é possível ajudar no alívio das dores lombares e dos problemas respiratórios, muito comuns no fim da gravidez”, completa a fisioterapeuta.

Técnicas

Na avaliação dos médicos, os problemas que a professora Leydiana Negreiros (29) tinha nas trompas a impediam de ter filhos. Por isso, quando a notícia da gravidez chegou, ela fez de tudo para ter uma gestação saudável e um parto normal. Uma dessas alternativas foi buscar pelas sessões de fisioterapia com Erika.

“Entrei no grupo de mães que ela organiza e passei a me exercitar especialmente para o momento do parto, mas também acabei aprendendo técnicas que hoje me ajudam com o Isaac Gabriel, que está com dois meses, como a massagem shantala, indicada para aliviar as cólicas dele”, comenta Leydiana.

Mamãe de primeira viagem, a professora diz que ter se mantido na ativa foi crucial para o momento mais esperado por toda mulher: a hora de dar à luz. Mas as orientações continuam sendo aplicadas no pós-parto, como as técnicas que ajudam o períneo a voltar ao normal e ajudam a evitar a flacidez do abdômen.“Tudo é novidade, então esses minutos que eu dedico ao meu bem-estar me ajudam a aliviar um pouco a tensão do dia a dia. Relaxar e fazer meus alongamentos dos braços e pernas é o que me ajuda a estar pronta para cuidar do meu filho”.

Adeus às dores

Com 17 semanas de gravidez, a gestora financeira Edna de Moraes é outra amazonense que aderiu à fisioterapia pré-natal. Ela lembra que ficou sabendo da atividade por meio de uma matéria do programa “Magazine”, da TV A Crítica, na qual a reportagem acompanhou uma sessão realizada no Instituto da Mulher Dona Lindu.

Hoje, Edna se encontra com Erika Moreira às terças e quintas, e também se exercita em casa quase todos os dias. “Percebi uma melhora principalmente na coluna, onde eu sentia muitas dores. Outro benefício foi a disposição, porque antes eu sentia mais cansaço”.

Fonte – http://acritica.uol.com.br/