O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a doença cerebrovascular de maior incidência e morbidade, podendo causar sintomas breves, transitórios ou déficits duradouros que causam grandes limitações ao indivíduo.

O AVC ocorre quando o fornecimento de sangue para uma parte do cérebro, tronco encefálico, cerebelo ou medula espinhal, é inadequado resultando em morte tecidual, seja por uma obstrução, designado AVC isquêmico, ou hemorragia, o que chamamos de AVC hemorrágico.

Os principais sintomas no início de um AVC são:

  • Dor de cabeça forte e persistente, que surge de repente
  • Dormência, fraqueza ou paralisia de um dos lados do corpo
  • Alteração da visão, visão subitamente enublada ou perda de visão especialmente de um olho
  • Dificuldade para falar ou encontrar palavras para um discurso compreensível
  • Tontura, desequilíbrio, falta de coordenação ao andar ou queda súbita
  • Confusão ou instabilidade

   As sequelas de um AVC prejudicam a capacidade física e o estado emocional do paciente, e após um AVC fisioterapia tem papel fundamental na reabilitação desses pacientes, sendo capaz de prevenir possíveis complicações e quedas, contribuir para um correto posicionamento, melhorar a qualidade de vida.

A importância da fisioterapia no AVC

   Para que se tenha um maior sucesso na reabilitação, a fisioterapia no AVC deve começar logo após o quadro clínico do paciente se estabilizar, sendo em casa ou ainda no hospital, pois é nessa fase que o Sistema Nervoso Central está tentando se reorganizar, no que chamamos de fenômeno de Plasticidade Neural.

   Um programa pós AVC fisioterapia bem planejado na reabilitação do AVC permitirá que esses pacientes possam reassumir o máximo possível de suas atividades diárias dentro das limitações trazidas pelo AVC.  O programa de reabilitação precisa ter objetivos gerais, a longo prazo, e específicos, definidos juntamente com o paciente e seus familiares.

   Exercícios simples de alongamento e fortalecimento muscular auxiliam na manutenção e ganho de amplitude de movimento e são importantes para o tratamento de membros fracos ou paralisados. Os exercícios começam simples e com pequenos movimentos, conforme a evolução do paciente eles são mais elaborados e largos. Esses exercícios ajudam também a não sobrecarregar o lado não afetado pelo AVC, evitando lesões.

   Treinos de equilíbrio são realizados para que o paciente recupere o máximo de equilíbrio e movimento para poder se movimentar com segurança. Além desses, existem uma série de estímulos que visam o restabelecimento sensorial e vão ser utilizados conforme o caso e modificados de acordo com o progresso individual.

   Os principais objetivos do tratamento AVC fisioterapia é reintegrar o paciente a sociedade, normalizar o tônus postural, prevenir lesões, melhorar as habilidades e a qualidade de vida do paciente.

Confira também outros artigos

Fisioterapia Desportiva

Disfunção fisioterapia temporomandibular

artigo fisioterapia dermato funcional