Tratamento fisioterapêutico pode ser feito de diversas formas e ajuda na prevenção
de lesões, melhoria da performance, pisada e ainda no fortalecimento muscular

Esqueça aquela história de que a fisioterapia é só “choque” e alguns alongamentos. Essa área da saúde, quando voltada para o esporte, traz grandes benefícios para o atleta, como por exemplo o reequilíbrio muscular após uma lesão, a melhora da postura para prevenção de problemas futuros e a orientação quanto aos perigos do treinamento excessivo. E por atleta não entenda somente os quenianos de elite e os jogadores de futebol profissionais. Eu e você, que praticamos uma atividade física regular, mesmo que somente recreativa, também entramos nessa categoria de atletas que se beneficiam com o tratamento fisioterapêutico.

eu atleta corrida (Foto: Getty Images)
Corredores podem recorrer a fisioterapia para melhorar a prática do esporte (Foto: Getty Images)

O objetivo da fisioterapia esportiva é recuperar e prevenir lesões relacionada à prática do esporte. Para que você entenda melhor como ela pode ajudar um corredor vou contar com é o tratamento de uma das lesões mais frequentes na corrida, a dor anterior do joelho (ou síndrome fêmoro-patelar).

O primeiro passo é tratar a inflamação e a dor. Para isso a fisioterapia conta com recursos como o laser e o ultrassom. Após o controle da dor é hora de atacar a causa do problema, ou seja, entender o que gerou a lesão através de uma avaliação detalhada e reverter o processo. No nosso exemplo de dor anterior no joelho um dos achados mais frequentes na avaliação é um problema postural na corrida, o valgo dinâmico. A ação da fisioterapia nesse caso é melhorar a postura através de exercícios de coordenação, educativos de corrida e fortalecimento muscular.

eu atleta lesao (Foto: Getty Images)
Fisioterapia esportiva pode prevenir lesões (Foto: Getty Images)

Cada caso é um caso, e existe uma possibilidade enorme de tratamentos. Se a causa da lesão for fraqueza, a fisioterapia se vale do recurso de fortalecimento para tratar. Se o problema for flexibilidade, o alongamento e as massagens são utilizadas. Em casos de déficits de equilíbrio um trabalho de coordenação motora pode ser a solução. São vários recursos que são utilizados de forma e frequência variável para atingir o objetivo principal: resolver a dor do corredor e fazer com que ele volte para a atividade o mais rápido e da forma mais segura possível.

Além dos equipamentos e exercícios, a fisioterapia tem outra arma poderosa: a informação. Uma boa conversa com o corredor alertando-o sobre os limites corpo e o perigo de exagerar no treinamento é tão poderosa quanto uma aplicação de laser e uma sessão inteira de fortalecimento muscular.

A fisioterapia também pode ajudar os corredores na prevenção de lesões e na melhora da performance, com orientações em relação a postura, pisada e fortalecimentos musculares. Assim, não pense na fisioterapia como algo monótono e lento, que serve somente para quem fez uma cirurgia ou torceu o pé. O tratamento voltado especialmente para corredores é dinâmico e cheio de recursos para proporcionar a melhor prática de esporte possível.

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.