A grande incidência de problemas respiratórios em crianças está ligada em grande parte com a evolução de bactérias que são responsáveis pelas infecções respiratórias e ao predomínio de infecções virais com relação as infecções bacterianas, e a outra parte a um conjunto de consequências ambientais que ligam os hábitos de vida e a poluição do ar.

Com base nas particularidades da predisposição genética e do sistema respiratório, as crianças estão sempre com um certo risco de pegar infecções respiratórias. E as mais comuns nas crianças são pneumonias e bronquiolite. E com isso precisando da fisioterapia respiratória.

Por Que a Tossir é Tão Importante?

Porque é por meio desse curso expiratório com alta velocidade que as secreções vão para a via aérea até que chegam na cavidade oral para serem expectoradas ou removidas.

fisioterapiarespiratoria

Se a Criança não Tem Conseguido Tossir, como o Fisioterapeuta Analisa o Resultado da Sua Intervenção?

A traqueia é repleta de receptores da tosse, e pequenos incitações nesta região provoca a tosse espontânea, assim como um fracionamento no lóbulo da orelha juntamente. Mas, ás vezes, é preciso usar de métodos de desobstrução mais invasivas como a aspiração de secreções da traqueia. E novamente usando o estetoscópio ele analisa novamente a alteração da ausculta pulmonar, ou seja, o surgimento dos sons respiratórios anormais.

Quais os Processos o Fisioterapeuta Respiratório Precisa Fazer Antes de Realizar a Intervenção em Uma Criança?

A processo da intervenção fisioterapêutica precisa ser feita nos períodos de intervalo das mamadas ou alimentação, ou ao menos uma hora depois dos mesmos. Se a criança tem SONDA para alimentação nasogástrica, é preciso aspirar o conteúdo gástrico. As crianças precisam ser acompanhadas antes, durante e depois do processo do fisioterapeuta.

O acompanhamento deve ser redobrado se a criança tiver fazendo uso de tubos traqueais, sondas gástricas e também acessos venosos. O tempo de sono deve ser respeitado, sempre que for possível.

Qual a Importância da Posição da Criança?

Bom, colocar a criança em uma posição ideal com a cabeça mais elevada pode amenizar o risco do refluxo gastresofágico e ajudar na melhora da sincronia da respiração. No entanto a criança não pode ser mantida em somente em uma posição, deve ser posta deitada dos dois lados os lados para precaver a formação de locais com maior pressão na pele e para beneficiar com uma alternância de ar ambas as áreas do pulmão. E o conforto da criança é também é um ponto fundamental!

A Fisioterapia Respiratória Pode Ajudar no Uso de Remédios Inalatórios? 

Os remédios tomados por meio da respiração (Terapia Inalatória) são usados diversas vezes em crianças com complicações respiratórias.  A escolha dessa maneira de aplicação é devido ao fato de seu efeito ser diretamente no pulmão, o órgão onde se encontra o problema, e pela diminuição da decorrência sistêmica do remédio.

A inalação ou a nebulização é muito mais eficaz quando é feita por meio da boca. E quanto maior for o volume de ar inalado, maior vai ser a quantidade de remédio enviada para os pulmões.

Quais Vão Ser as Crianças Beneficiadas Pela Fisioterapia Respiratória?

Hoje em dia são várias as áreas de apoio da Fisioterapia Respiratória, todas dentro de um novo formato de promoção da saúde em um todo. O Fisioterapeuta Respiratório trabalha basicamente na prevenção e também no cuidado e tratamento de doenças respiratórias.

As fisioterapias respiratórias atendem também as crianças com problemas respiratórios, tais como: pneumonias, rinites, asma, fibrose cística, bronquite, problemas neuromusculares, síndromes genéticas e entre outras, ou mesmo aqueles problemas mais simples, como as diversas crianças que respiram de maneira errada. Vale lembrar quanto mais cedo essas crianças iniciarem o tratamento na fisioterapia respiratória melhores vão ser os resultados obtidos.

Gostou desse artigo sobre a Fisioterapia Respiratória?