Veja aqui algumas informações sobre a Técnica de Liberação Miofascial

Confira alguns artigos relacionados a Técnica

Efeitos da liberação miofascial e idade sobre a flexibilidade de homens. Miofascial liberation and age effects on flexibility of men.

Gustavo Aires de Arruda(1), Guilherme Stellbrink(2), Arli Ramos de Oliveira(3) .

Universidade Estadual de Londrina.

Resumo Objetivo: O objetivo do presente estudo foi investigar a influência da Liberação Miofascial sobre a flexibilidade, bem como a associação entre a flexibilidade e a idade em homens. Método: Para a coleta dos dados foi realizada uma anamnese e a avaliação da flexibilidade pelo Teste “Sentar-e-Alcançar”. Fizeram parte da pesquisa 20 funcionários de uma empresa de reciclagem de papel da cidade de Londrina-PR, do sexo masculino, com idade média de 31,05(±4,76) anos, divididos em grupo controle e experimental. Os sujeitos do grupo experimental foram submetidos a duas sessões semanais de Liberação Miofascial nos músculos isquiotibiais, totalizando seis sessões. A análise estatística utilizou o Teste de Shapiro Wilk’s, medidas de tendência central e dispersão, o Teste de Wilcoxon e U de Mann Whitney, e o Coeficiente de Correlação de Spearman, sendo p<0.05. Resultados: Os resultados do estudo indicaram mudança significativa no grupo experimental (Δ%=14,4) entre o pré e pós-teste. Correlações significativas entre a idade e os resultados no pré e pós-teste foram verificadas para o grupo de forma geral, e para o grupo experimental (“r” entre -0,56 e -0,91) e para o grupo controle no pré e pós-teste (r=-0,97). Conclusão: A técnica de Liberação Miofascial aumentou a mobilidade articular, enquanto a idade apresentou uma relação inversamente proporcional com a amplitude de movimento. Palavras-chave: Terapia manual, liberação miosfascial, flexibilidade, músculos isquiotibiais.

Abaixe aqui o Artigo Completo


Eficácia da desativação dos pontos-gatilho miofasciais para o controle do zumbido / Efficacy of myofascial trigger point deactivation for tinnitus control

Rocha, Carina Bezerra; Sanchez, Tanit Ganz.

Braz J Otorhinolaryngol; 78(6): 21-26, nov.-dez. 2012.

Artigo em Português | LILACS | ID: lil-660406

Resumo

Dor crônica nas imediações do ouvido pode influenciar o zumbido. OBJETIVO: Investigar a eficácia da desativação de pontos-gatilho miofasciais na melhora do zumbido. MÉTODO: Ensaio clínico randomizado com 71 pacientes com zumbido e síndrome dolorosa miofascial. O Grupo Experimental (n = 37) foi submetido a 10 sessões de desativação dos pontos-gatilho miofasciais e o Grupo Controle (n = 34), a 10 sessões de desativação placebo. RESULTADOS: O tratamento do Grupo Experimental foi eficaz para o controle do zumbido (p < 0,001). Houve associação entre as melhoras de dor e zumbido (p = 0,013) e entre os lados da orelha com pior zumbido e do corpo com mais dor (p < 0,001). A presença de modulação (aumento ou diminuição) temporária do zumbido durante a palpação inicial dos pontos foi frequente em ambos os grupos, mas a diminuição temporária foi associada à melhora persistente do zumbido ao fim do tratamento (p = 0,002). CONCLUSÃO: Além da avaliação médica e audiológica, os pacientes com zumbido devem ser avaliados para: 1) presença de dor miofascial próxima à orelha; 2) lateralidade entre ambos os sintomas; 3) diminuição temporária do zumbido durante a palpação do músculo dolorido. O tratamento deste subgrupo de pacientes pode ter melhor prognóstico que os demais.(AU)

Clique aqui e veja esse artigo completo

CONFIRA NOSSO CURSO DE LIBERAÇÃO MIOFASCIAL


Alterações no fluxo sanguíneo e metabolismo celular em um miofascial desencadear ponto com lançamento ponto de disparo (compressão isquêmica): um estudo piloto de prova de princípio

Resumo

OBJETIVO: Demonstrar a medição de prova de princípio para a mudança fisiológica dentro de um ponto de gatilho miofascial ativa (PGM) submetidos a liberação ponto de disparo (compressão isquêmica). PROJETO: fluido intersticial foi amostrado continuamente em um ponto gatilho antes e depois da intervenção. LOCAL: Uma clínica de investigação biomédica de um hospital universitário. PARTICIPANTES: Assuntos (N = 2) de uma clínica de dor que tinha dor de cabeça crônica. INTERVENÇÕES: Uma única microdiálise cateter foi inserido em um PGM ativo do trapézio superior para permitir a amostragem contínua de fluido intersticial antes e após a aplicação da terapia ponto de disparo por um massagista. MEDIDAS PRINCIPAIS DO RESULTADO: O sucesso do procedimento, a tolerância à dor, viabilidade de intervenção durante a coleta de amostra e determinação de valores fisiologicamente relevantes para o fluxo sanguíneo local, bem como as concentrações de glicose e lactato. RESULTADOS: Ambos os pacientes toleraram a sonda de inserção microdialysis na PGM e intervenção tratamento sem complicação. As concentrações de glicose e de lactato foram medidas na gama fisiológica. Após a intervenção, um aumento sustentado da lactato foi observado para ambos os assuntos. CONCLUSÕES: Identificando componentes fisiológicos da PGM após a intervenção é um passo importante para a compreensão e resolução de fisiopatologia da dor miofascial. Os presentes para a frente de estudos que visam ao mostrar que a prova de conceito-para coleta de líquido intersticial de um PGM antes e após a intervenção pode ser realizada utilizando microdiálise, proporcionando assim uma visão metodológica para mecanismo de tratamento e resolução da dor. Dos biomarcadores medidos neste estudo, lactato pode ser a mais relevante para a detecção e tratamento de anormalidades na PGM.

Clique aqui e veja esse artigo completo em Inglês 


Tratamento da Lombalgia através da Liberação Miofascial.

Sharan D; Rajkumar JS; Mohandoss M; Ranganathan R.
Curr Dor Dor de Cabeça Rep; 18 (9): 449, 2014 setembro
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-25091133

Resumo

Dor miofascial é um problema músculo-esquelética comum, com a baixa de volta sendo um dos mais comuns regiões afectadas. Vários tratamentos têm sido utilizados para a dor miofascial de volta através de terapias físicas, agentes farmacológicos, injeções, e outras terapias tais. Esta avaliação irá fornecer uma atualização com base na literatura publicada recentemente no campo da dor lombar miofascial, juntamente com uma breve descrição de um protocolo de tratamento multidisciplinar sequenciado chamado Hands-on Approach qualificados para o lançamento de myofascia, Articular, Neural e macio mobilização dos tecidos (SHARANS) protocolo. Uma abordagem multidisciplinar abrangente é recomendado para a gestão bem sucedida de indivíduos com dor lombar miofascial.


Cabeça e pescoço massagem miofascial gatilho focado pontos para recorrente cefaléia do tipo tensional: um ensaio clínico randomizado, controlado com placebo.

Moraska AF; Stenerson G; Butryn N; Krutsch JP; Schmiege SJ; Mann JD.
J Clin dor; 31 (2): 159-68, 2015 fevereiro
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-25329141

Resumo

OBJETIVO: miofascial pontos gatilho (PGM) são rupturas focais no músculo esquelético que pode se referir dor na cabeça e reproduzir os padrões de dor de HA do tipo tensional (CTT). O presente estudo massagem focada na PGM de pacientes com cefaléia do tipo tensional em um ensaio clínico controlado com placebo para avaliar a eficácia na redução da dor de cabeça (HA) dor aplicada. MÉTODOS: Cinqüenta e seis pacientes com CTT foram randomizados para receber 12 massagem ou placebo (ultra-som desafinado) sessões durante seis semanas, ou a lista de espera. Massagem liberação ponto de disparo focada em PGM na musculatura cervical. Dor HA (freqüência, intensidade e duração) foi registrada em um diário HA. Medidas adicionais de desfecho incluíram auto-relato da mudança clínica percebida em HA dor e pressão-limiar da dor em PGM no trapézio superior e músculos suboccipital. RESULTADOS: A partir de gravações diário, diferenças entre os grupos ao longo do tempo foram detectados em frequência HA (P = 0,026), mas não para a intensidade ou duração. Análise post hoc indicaram que freqüência o AH diminuiu de linha de base tanto para massagem (P <0,0003) e placebo (P = 0,013), mas não foi detectada diferença entre massagem e placebo. Relatório do paciente de mudança clínica percebida foi maior redução da dor HA para a massagem do que o placebo ou de lista de espera grupos (P = 0,002). Limiar de pressão de dor melhorou em todos os músculos testados por apenas massagem (todos P de <0,002). DISCUSSÃO: Dois resultados deste estudo são evidentes: (1) PGM são componentes importantes no tratamento da cefaléia do tipo tensional, e (2) TTH, como outras condições crônicas, é sensível ao placebo. Ensaios clínicos de HA que não incluem um grupo placebo estão em risco de superestimar a contribuição específica da intervenção ativa.

Veja um vídeo sobre a técnica de Liberação Miofascial

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *