Dor é uma experiência que todos nós estamos familiarizados. Embora indesejável, ele desempenha um papel importante em chamar a nossa atenção para a fonte de desconforto físico ou lesão, de modo que ele pode ser abordado. No entanto, às vezes a dor parece durar mais essa função e permanecer sem razão aparente. Lidar com esse tipo de dor crônica pode ser uma batalha. Em alguns casos, um exame médico pode ajudar a avaliar e diagnosticar a causa física da dor. No entanto, às vezes fatores físicos são não identificáveis ​​ou incapazes de explicar a duração e a intensidade da dor que está sendo experimentada. Nestes casos, uma avaliação psicológica completa pode ser recomendada para entender os fatores emocionais que poderiam estar causando ou exacerbando a dor. Mas há realmente um aspecto psicológico da dor?

A dor costumava ser entendida como uma sensação puramente física. No entanto, ao longo dos anos, tem sido reconhecido que a dor é influenciada por uma série de fatores psicossociais, incluindo emoções, contexto social e ambiental, contexto sociocultural, o significado da dor para a pessoa, crenças, atitudes, expectativas, bem como fatores biológicos . É assim uma combinação destes fatores físicos, emocionais e sociais que servem para causar, aumentar ou manter a dor crônica. Por sua vez, a experiência de dor crônica também causa raiva, tristeza e ansiedade, e impacta o nosso funcionamento social. Portanto, o tratamento requer um endereçamento não apenas da fonte orgânica, mas também dos outros fatores psicossociais envolvidos na experiência da dor.

Muitos tratamentos médicos como medicação, cirurgia ou terapia física ajudam a tratar a dor crônica. Mas devemos lembrar que o tratamento psicológico também é uma parte importante da gestão da dor. Precisamos entender e desenvolver estratégias de enfrentamento para gerenciar melhor os pensamentos, emoções e comportamentos que experimentamos juntamente com a dor.

Se você está lidando com dor crônica, aqui estão algumas dicas que você pode tentar:

Mantenha-se ativo

Não deixe que sua dor o retenha. Definir expectativas realistas para si mesmo e ficar envolvido nas coisas que você ama. Não se empurre para além do que você pode manipular fisicamente.

Fique em forma

Exercício de baixo impacto como alongamento, natação ou ioga pode ajudar a manter seu corpo em forma, sem causar dor adicional. Descubra quais exercícios funcionam para você e os pratique regularmente.

Contato Social

Em tempos de angústia, o apoio social é importante. Fale com pessoas com quem você está perto. A pesquisa mostra que ele pode torná-lo mais resistente e menos propensos a experimentar depressão e ansiedade.

Fique envolvido

Engajar-se em outras atividades pode distraí-lo de sua dor. Certifique-se de ter uma lista de atividades que você gosta, para experimentar quando a dor ocorre.

Fique On Track

Se você está seguindo uma rotina física regular ou medicação, segui-lo religiosamente. Mudanças não planejadas podem ter conseqüências prejudiciais. Não altere nem interrompa a sua rotina de tratamento sem antes consultar o seu médico ou terapeuta.