Microagulhamento com radiofrequência é o tratamento mais moderno para rejuvenescimento

Quando o assunto é minimizar os efeitos do tempo na pele, não faltam opções de tratamento em consultório.

A Dermatologia caminha a passos largos no campo estético e o segredo é escolher uma clínica de confiança e, principalmente, um dermatologista com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que vai prescrever o melhor protocolo de tratamento para cada paciente, levando em consideração seu tipo de pele, idade, queixas e rotina diária de cuidados com a pele.


SAIBA MAIS

Curso de Microagulhamento

Artigo  Microagulhamento: estudo experimental e classificação da injúria provocada

Artigo – Associação do Microagulhamento ao Peeling de Fenol


Na Clínica LeDerme, localizada na Torre 3 do Shopping Tijuca, a novidade da vez é o ‘Microagulhamento com Radiofrequência’, uma tecnologia de ponta e importada, disponível por enquanto em poucas clínicas no Brasil. Segundo a Dra. Leticia de Chiara, dermatologista e membro-efetivo da SBD, a associação do microagulhamento com essa radiofrequência de quarta geração potencializa os resultados do tratamento. “O microagulhamento atenua poros dilatados, clareia manchas como o melasma, melhora a textura geral da pele, suaviza cicatrizes de acne e rugas. Já a radiofrequência fracionada atua no combate à flacidez cutânea, estimulando a produção de colágeno novo, recuperando a firmeza perdida com o passar dos anos e redefinindo o contorno facial”, explica.

Microagulhamento

O equipamento também permite fazer o chamado Drug Delivery, que consiste na aplicação, logo após o microagulhamento, de determinadas substâncias na pele do paciente

O procedimento é feito através de uma ponteira com finíssimas agulhas de ouro que deslizam sobre a pele, causando microperfurações, através das quais a radiofrequência é transmitida até as suas camadas mais profundas, regenerando-a de dentro para fora.

De acordo com a especialista, o procedimento é totalmente seguro, pois o dermatologista ajusta e controla a profundidade de penetração das agulhas de acordo com a necessidade de cada pele. O resultado é um pós-procedimento muito melhor e com mais conforto para o paciente.

O equipamento também permite fazer o chamado Drug Delivery, que consiste na aplicação, logo após o microagulhamento, de determinadas substâncias na pele do paciente (vitamina C, determinados ácidos, ativos clareadores etc). “As microperfurações aumentam, consideravelmente, a permeabilidade da pele para absorver melhor essas substâncias”, diz Dra. Leticia.

“Esse novo protocolo de tratamento é considerado hoje padrão-ouro para rejuvenescimento facial, segundo várias publicações científicas, principalmente por ser capaz de tratar várias queixas de pele de uma só vez”, explica a dermatologista.

Uma vantagem dessa nova tecnologia é que o microagulhamento também poder ser usado para tratar queixa de alopecia (queda dos fios). “Ele abre os canais da pele do couro cabeludo para melhor absorção dos ativos e medicamentos tópicos, que visam a estimular o crescimento de novos fios”, explica a médica.