App melhora qualidade de vida de pessoas com Alzheimer

App melhora qualidade de vida de pessoas com Alzheimer

Desenvolvido na Escócia, o programa avalia os cômodos da casa do paciente e faz recomendações com base em suas necessidades

Pensando na qualidade de vida de pacientes que sofrem de doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, pesquisadores da Universidade Stirling, na Escócia, desenvolveram um aplicativo chamado Iridis, capaz de avaliar a acessibilidade dos cômodos da casa e fazer recomendações para melhorá-lo, levando em conta que fatores como luz, cores e barulho podem afetar pessoas que vivem com demência. Segundo os desenvolvedores, que receberam a colaboração da empresa de construção Space Group, o programa será gratuito e deverá levar cerca de 20 minutos para rastrear o ambiente.

Veja também

Como funciona

Os usuários, profissionais da saúde ou familiares de pacientes com demência, precisarão responder a perguntas sobre seus arredores e tirar fotos dos cômodos, sejam de domicílios ou espaços públicos. Então, o aplicativo irá recomendar mudanças, que podem variar desde a troca de lâmpadas até reformas mais complexas, como a acessibilidade dos banheiros.

Aplicativo desenvolvido pela Universidade de Stirling (Stirling University/Reprodução)

De acordo com o centro de pesquisas sobre demência da Universidade Stirling, este é o primeiro aplicativo do gênero e estará disponível para download a partir de setembro.

Demência

“Essa é uma oportunidade de revolucionar o cotidiano dos idosos que vivem com demência pelo mundo”, disse Lesley Palmer, representante da equipe de pesquisa, à rede britânica BBC. “Normalmente, essas pessoas têm maiores demandas sobre os serviços de saúde e, com a devida orientação sobre como adaptar suas condições de vida, elas se tornam mais independentes, têm mais autonomia. Com cerca de 50 milhões de pessoas estimadas vivendo com demência em todo o mundo, há uma necessidade imediata de investir em nossa população em envelhecimento e fornecer serviços e instalações melhores.”, explicou.